New Adult • Editora: Galera Record • Autora: A.C Meyer 280 Páginas

O Tipo Certo de Garota Errada é aquele livro que literalmente te surpreende desde a primeira página e quem lê sua sinopse não imagina o quão intensa e emocionante é a sua história. 
Malu sempre foi a rebelde da família, fumante, de cabelos coloridos e lotada de tatuagens, a única coisa que faz para agradar a família é cursar a faculdade de Direito.

Em seu primeiro dia de aula Malu conhece Rafael e os dois se tornam amigos inseparáveis. 
Rafa está terminando a sua graduação em direito, adora curtir baladas, sair com diversas mulheres diferentes e assim como Manu é completamente descrente no amor e foge de relacionamentos sérios.
“Mas sempre fui a ovelha negra, aquela que tinha os cabelos coloridos e gostava de chocar. Que fuma, bebe, fala palavrão e gosta de curtir as coisas boas da vida. O tipo certo de garota errada. Aquela que nenhuma mãe iria querer como nora, e que os garotos normalmente não levam para casa, para apresentar aos pais.”
Alguns anos depois, cansada de viver sob a pressão dos pais, Malu decide largar a faculdade e começar a viver apenas de sua arte.
Com a ajuda de Rafa, o incrível talento de Malu é logo reconhecido e ela passa a fazer sucesso pintando telas para exposições em uma galeria de arte.
Como já era de se esperar aos poucos a grande amizade de Rafa e Malu acaba se tornando uma amizade pra lá de colorida e o romance vai enfim tomando forma.
“Ele se aproximou, sentando ao meu lado. Tirou o copo, já vazio, das minhas mãos, apagou o cigarro e passou os braços ao redor do meu corpo, me pegando no colo.
– Vem, vou cuidar de você.”
A. C. Meyer escreve de forma muito envolvente e fluida e você logo se apaixona por sua escrita e por seus personagens.
O romance é lindo e também repleto de reviravoltas do tipo que não deixam a história cair na monotonia. Só posso dizer, preparem os seus lencinhos..rsrs

Este é o primeiro livro da série As Garotas e já quero logo ler os próximos livros da série e descobrir quais serão as suas protagonistas. 

Deixe um comentário