Image Map

21 maio 2013

Resenha: Pandemônio



Livro: Pandemônio
Autora: Lauren Oliver
Editora: Intrínseca

Sinopse:    
"Dividida entre o passado, a luta pela sobrevivência na Selva e o presente, no qual crescem as sementes de uma violenta revolução, Lena Haloway terá que lutar contra um sistema cada vez mais repressor sem se transformar em um zumbi: modo como os Inválidos se referem aos curados. 
Não importa o quanto o governo tema as emoções, as faíscas da revolta pouco a pouco incendeiam a sociedade, vindas de todos os lugares… inclusive de dentro."

 


*Pode conter spoilers de Delírio, para conferir a resenha dele, clique aqui.


Antes de qualquer coisa tenho que dizer que eu considero praticamente impossível falar desse livro sem citar alguns acontecimentos importantes do livro anterior, por isso se você ainda não leu "Delírio" e pretende ler, eu aconselho a pular a resenha a partir daqui e ler somente o seu parágrafo final.
Quando terminei de ler "Delírio" a um ano atrás ele não se tornou somente um dos meus livros favoritos como também a minha distopia favorita e por isso tinha muitos motivos para aguardar ansiosa o lançamento de "Pandemônio" no Brasil e criar altas expectativas a respeito da sua história.
Depois do final desesperador do primeiro livro e da tentativa de fuga angustiante de Lena e Alex para Selva, começamos Pandemônio alguns meses depois com uma Lena bem mais madura e consciente da realidade a sua volta.
Ela agora luta pela sua sobrevivência e sabe mais do que nunca que o amor não é uma doença e irá fazer de tudo para ir contra a um sistema em que ela acreditou e confiou a vida inteira.

"Antes de conhecer Alex, vivi quase dezoito anos acreditando piamente no sistema, acreditando cem por cento que o amor era uma doença, que precisamos nos proteger, que garotas e garotos devem ficar rigorosamente separados para impedir o contágio."

Junto com Lena nessa luta conhecemos novos e interessantes personagens como Graúna, Prego, Azul entre outros e todos eles são muito bem contruidos e explorados ao longo da história.
Entre os novos personagens temos também Julian, um personagem tão importante e presente nesse livro que com a sua fofura me deixou confusa e culpada, pois com ele na história foi até possível se esquecer de Alex em alguns momentos.
Se no primeiro livro algumas pessoas sentiram a falta de distopia na história, nesse o foco central é a sociedade distópica criada por Lauren Oliver e todos os seus ensinamentos, contradições e revoltas.
Apesar de estar de certa forma sempre presente, o romance acaba aparecendo bem pouco durante toda a história e deixando aquele sentimento de querer sempre mais.

"Julian também começa a rir, depois faz uma careta e toca o lábio ferido - Ai - diz ele, e isso me faz rir ainda mais, o que o faz rir e depois dizer "ai" de novo. 
Em pouco tempo estamos rolando de rir. Julian tem uma gargalhada surpreendentemente gostosa, baixa e musical. - Certo, sua vez - diz ele por fim, ofegante, quando as gargalhadas acabam."

O livro trás os capítulos alternados entre o agora e o antes, tornando possível que o leitor saiba de tudo o que aconteceu com Lena desde que ela atravessou a cerca que protegia a sua cidade contra a doença Delíria (amor) e o perigo que eles acreditam vir de seus contaminados.
A narrativa da autora ainda me encanta e eu continuo admirando muito a sua escrita, porém tenho que admitir que ela acabou se perdendo um pouco nesse livro e por isso considero ele um pouco inferior ao primeiro livro da trilogia.
Por alguns momentos senti que a história permanecia exatamente no mesmo lugar e nada de novo acontecia e o diferencial mesmo acabou ficando somente para o final do livro que assim como o primeiro termina sem um desfecho e deixa o leitor desesperado por sua continuação.
Só me resta aguardar ansiosa pelo lançamento do terceiro e último livro aqui no Brasil e torcer para que a história tenha o final maravilhoso que merece.



3 comentários:

  1. Deve ser interessante. Acho que vou comprar!

    bjs,

    Morena
    www.todamocinha.com

    ResponderExcluir
  2. Li Delírio até a metade logo que lançou e nunca soube bem porque parei... com as pessoas em alvoroço com o lançamento de Pandemônio, começo a pensar em retomar a leitura! hahahaha

    Um beijão,
    Renato.
    www.estejali.com

    ResponderExcluir
  3. Oi Tais!
    Em delírio, foi a narrativa da Lauren que mais me cativou, e gostei de ver que em Pandemônio ela se alterna entre o "Antes" e o "Agora".
    Uma pena que a história pareça ter se perdido um pouco, apesar do final eletrizante.
    Eu espero gostar!
    Beijão!

    ResponderExcluir

 
Leitora Fashion © Todos os direitos reservados
leitorafashion@gmail.com