Image Map

30 novembro 2013

Leitora Fashion de cara nova!

3
No dia 13 de Dezembro o blog completa 3 anos no ar e as novidades em comemoração a essa data tão especial serão muitas, para começar hoje apresento para vocês o novo layout do Leitora Fashion.


Quem desenvolveu o novo layout foi a Aline Dias, uma pessoa muito querida e atenciosa que no momento não está aceitando encomendas de blogs, porém abriu uma exceção para o Leitora Fashion já que o antigo também foi ela que fez em Dezembro de 2012.
Espero que tenham gostado e aguarde, pois esse mês está recheado de surpresas e sorteios para vocês.

26 novembro 2013

[Resenha] Esconda-se

0
 Livro: Esconda-se
Autora: Lisa Gardner
Editora: Novo Conceito

Sinopse:
“Uma mulher que foi obrigada a fugir — desde criança— de uma possível ameaça. Uma ameaça que seu pai via em todo lugar, mas que a polícia nunca considerou. Um antigo e desativado sanatório para doentes mentais que pode ter muito mais a esconder entre suas paredes do que homens e mulheres entorpecidos por remédios. Uma história de rancor entre membros de uma mesma família que nunca conseguiram superar os episódios de violência doméstica que presenciaram. 
Um pingente que foi parar em mãos erradas — e a cena de um crime brutal: seis meninas mortas e mumificadas há mais de trinta anos. Agora, cabe à famosa detetive D.D. Warren descobrir quem foi o serial killer que cometeu esta atrocidade e que motivação infame deformou sua mente. Acompanhe D.D. Warren na solução de mais este complexo caso e encontre o inimaginável que está por trás de pessoas aparentemente comuns!”

Segundo volume da série de livros já publicados pela autora Lisa Gardner, "Esconda-se" foi o terceiro publicado pela editora Novo Conceito no Brasil, ou seja, aqui os livros estão sendo lançados fora da ordem, anteriores a esse já tivemos ‘Viva para contar’ livro quatro na ordem original e ‘sangue na neve’ livro cinco na ordem original.
Em ‘Esconda-se’ acompanhamos a investigação de um caso terrível e intrigante, seis corpos de crianças são encontrados, mumificados dentro de sacos plásticos em uma câmara subterrânea, localizada nos terrenos de um antigo hospital psiquiátrico. 

"Sacos. Seis sacos plásticos. Plástico caro. Ele recuou. Nada foi dito. Sentiu a boca se abrindo, mas nada estava acontecendo, não saiu nada. Ele apenas ficou olhando. E olhando e olhando, porque uma coisa daquelas não podia existir, uma coisa daquelas não podia ser. Sua mente viu aquilo, rejeitou e então viu a imagem e lutou contra ela mais uma vez. Ele não podia... Isso não podia..."

Ao mesmo tempo, temos a história de Annabelle Granger, ela e seus pais passaram a vida toda fugindo de uma ameaça que seu pai dizia se abater sobre sua família. Eles mudavam de nome a cada cidade que passavam e Annabelle passou sua infância e adolescência sendo treinada com todo tipo de aula de defesa pessoal, lutas e lições dadas pelo próprio pai, sem nunca entender o real motivo de toda essa vida de fuga e preocupação.

"Até hoje, não sei em quantas cidades moramos. Ou quantos nomes eu tive. Minha infância se tornou um borrão de novos rostos, novas cidades e as mesmas malas de sempre."

A história começa a se desenvolver a partir do momento que a câmara com os corpos das crianças é encontrada e uma das vítimas carregava um colar com o nome de Annabelle. Acontece que ela não é a garota que está morta com o colar e sim uma amiga de infância pra quem ela deu de presente o colar a 25 anos atrás.
E é aí que as tramas se cruzam e Annabelle se liga de vez com essa investigação. Ela sempre achou que seu pai era paranoico, pois passaram anos fugindo e nada de errado acontecia com eles, ela nunca via motivo para as inúmeras mudanças; porém, quando se deparou com esse fato, seu mundo desabou;  então seu pai realmente tinha um motivo pra fugir? Sua amiga morreu por estar com seu colar e ter alguma ligação com ela?
Como se não bastasse, Annabelle fica sabendo de um crime anterior a esse em que o assassino também usou uma câmara subterrânea para esconder sua vítima, e as coincidências não param por aí, a menina sequestrada na época, que felizmente se salvou, é muito parecida com ela. Os crimes estão ligados de alguma maneira? Agora que a Câmara com sua amiga de infância foi descoberta e os fatos fora reavivados, Annabelle ainda corre perigo?

"É a isso que a vida se resume, no final? Meninas pequenas forçadas a escolher entre uma vida passada fugindo das sombras ou uma morte prematura sozinha no escuro? Que tipo de monstro fazia esse tipo de coisa?..."

O livro é narrado em primeira e terceira pessoa.  Temos a narração de Annabelle – em primeira pessoa, e em terceira pessoa, acompanhamos o detetive Bobby Dodge e a detetive D.D Warren.
Bobby, ex-atirador de elite, após problemas em um caso que marcou sua carreira vai para o ramo da investigação, está a dois dias de serviço como detetive de homicídios quando recebe uma ligação da então, recém promovida, sargento detetive D.D para se juntar a ela na investigação desse caso.
Quando Annabelle é a narradora, ela vai nos contando tudo o que passou nesses anos de fuga e como agora, já adulta, está encarando o mundo sozinha, pois seu pai e sua mãe já faleceram. Quando o narrador acompanha os detetives, ficamos por dentro de todo o processo de captação de informações e pistas sobre o caso, também participamos das reuniões e entrevistas com possíveis suspeitos.
O fato dos livros serem publicados fora de ordem aqui no Brasil, não compromete a leitura, pois cada livro trata de um caso a ser desvendado e a autora procura sempre dar um feedback de acontecimentos que julga ser importante para não nos perdemos durante o desenrolar da história; mas como nesse caso, ‘voltamos no tempo’ e do livro cinco retrocedemos ao livro dois, em algumas partes me senti incomodada pois, em vez de ver a evolução dos personagens como acontece em uma série, acabamos nos deparando com acontecimentos que já foram superados nos próximos livros.
Apesar de ter me incomodado e de achar que a editora deveria ter publicado a série na ordem cronológica, deixo claro, como disse anteriormente, que isso não faz com que o livro se torne menos interessante de ler, pelo contrário, a escrita da autora continua envolvente e é incrível acompanhar a narrativa e o desenrolar dos fatos, com suas reviravoltas e cenas de tirar o fôlego.


**** Resenha escrita  para o blog por nossa colaboradora especial de thrillers e policiais Vivi Belon ****

25 novembro 2013

Carteira Acrílica - Você usaria?

4
As carteiras acrílicas, conhecidas como clutches tem dado o que falar e prometem chamar ainda mais atenção na próxima estação.


Modernas, lindas e cheias de estilo, elas podem ser usadas nos compromissos do dia a dia e também à noite, quando tiram o look do lugar comum e dão um toque arrojado às produções.
É possível encontrá-las em diversas cores, porém poucas delas escondem o conteúdo da bolsa, já que o seu charme é feito exatamente em revelar o que as mulheres carregam.
Para quem gostou do modelo, porém prefere a privacidade a solução é optar por usá-las com uma nécessaire ou bolsinha na parte interna dando um toque customizado ao acessório.

   
E vocês, o que acham dessa moda? Usam ou não?
 

22 novembro 2013

[Resenha] Paixão sem Limites

3
Livro: Paixão sem Limites
Autora: Abbi Glines
Editora: Arqueiro

Sinopse:
"Blaire Wynn não teve uma adolescência normal. Ela passou os últimos três anos cuidando da mãe doente. Após a sua morte, Blaire foi obrigada a vender a casa da família no Alabama para arcar com as despesas médicas. Agora, aos 19 anos, está sozinha e sem lugar para ficar. Então não tem outra escolha senão pedir ajuda ao pai que as abandonara. Ao chegar a Rosemary, na Flórida, ela se depara com uma mansão à beira-mar e um mundo de luxo completamente diferente do seu. Para piorar, o pai viajou com a nova esposa para Paris, deixando Blaire ali sozinha com o filho dela, que não parece nada satisfeito com a chegada da irmã postiça. Rush Finlay é filho da madrasta de Blaire com um famoso astro do rock. Ele tem 24 anos, é lindo, rico, charmoso e parece ter o mundo inteiro a seus pés. Extremamente sexy, orgulha-se de levar várias garotas para a cama e dispensá-las no dia seguinte. Blaire sabe que deve ficar longe dele, mas não consegue evitar a atração que sente, ainda mais quando ele começa a dar sinais de que sente a mesma coisa. Convivendo sob o mesmo teto, eles acabam se entregando a uma paixão proibida, sobre a qual não têm nenhum controle. Mas Rush guarda um segredo que Blaire não deve descobrir e que pode mudar para sempre as suas vidas."

Quem visita sempre o blog e leu as últimas resenhas postada por aqui já sabe bem o quanto eu tenho gostado cada vez mais dos livros do gênero new adult que estão sendo lançados aqui no Brasil esse ano.
Por conta disso, assim que a editora Arqueiro anunciou que iria lançar a série "Too Far" eu fiquei bem curiosa e ansiosa por sua leitura.
Ao ler a sinopse de "Paixão sem Limites" e ver vários comentários positivos entre os leitores que leram a trilogia em inglês, a minha curiosidade pelo livro só aumentou e assim que ele chegou aqui em casa parei tudo o que estava fazendo para começar a lê-lo. 
No livro temos como protagonista Blaire Wynn, uma jovem do Alabama que acabou de perder a mãe que lutou durante 3 anos contra um câncer.
Sem ter para onde ir e sendo obrigada a vender a sua pequena casa para pagar despesas médicas, Blaire resolve pedir ajuda ao seu pai que mora em uma praia da Flórida com a nova família.    
Ao chegar ao seu destino após horas de viagem e com apenas 20 dólares no bolso ela se surpreende ao encontrar uma mansão lotada de jovens dando uma festa. 
Ela logo fica sabendo que seu pai está em Paris e não tem pretende voltar tão cedo e agora só lhe resta contar com a boa vontade de Rush, o filho da nova esposa de seu pai. 

“- A gasolina acabou. Eu tenho 20 dólares na bolsa. Meu pai fugiu e me abandonou depois de dizer que me ajudaria. Acredite em mim: ele era a ÚLTIMA pessoa para quem eu pediria ajuda.
E não, eu não uso maquiagem. Tenho problemas mais graves no momento do que ficar bonita. E gora, você vai chamar a polícia ou um reboque? Se eu puder escolher, prefiro a polícia."

Blair é uma protagonista forte e determinada que não reclama ao ficar em um minúsculo quarto em baixo da escada e comer todos os dias sanduíches de manteiga de amendoim para economizar dinheiro e enfim poder alugar uma nova casa. 
Já Rush é daqueles típicos personagens sedutores que mesmo quando faz algo irritante logo depois te fazer suspirar e babar por ele.
A relação entre os dois é um pouco estranha e repleta de mistérios sendo impossível não perceber que a forte atração entre eles tem limites que eles estão decididos a não ultrapassar.

"Ele resmungou um palavrão e olhou para o céu com raiva antes de tornar a me encarar.
- Tem coisas sobre mim que você não sabe. Eu não sou um daqueles caras que você pode tratar feito um cachorrinho. Tenho bagagem. Muita. Bagagem demais para alguém como você.
Imaginava uma pessoa muito diferente, levando em conta que conheço o seu pai. Você não é como ele. Você é tudo aquilo de que um cara como eu deve ficar longe. Eu não sou a pessoa certa para você."

A narrativa em primeira pessoa com o ponto de vista de Blaire é rápida, fluida e viciante sendo possível terminar a sua leitura em poucas horas. 
Além do romance e das cenas picantes uma das coisas que mais gosto nesse gênero é poder acompanhar os dramas muitas vezes secretos vividos pelos personagens.  
Com apenas 192 páginas percebi que a autora deixou alguns pontos importantes da história para trás e muitas coisas em aberto que eu espero que sejam aprofundadas nos próximos livros da trilogia e foi somente isso que me impediu de dar 5 estrelas para esta leitura.
Quem não aguenta esperar por continuações certamente irá sofrer muito com o final de "Paixão sem Limites", porém felizmente não teremos que esperar muito para saber o que irá acontecer. 
O próximo livro da trilogia trás o nome de "Tentação sem Limites" e tem previsão de lançamento para Fevereiro do ano que vem e além de termos Rush na capa parece que teremos também alguns capítulos da história narrados por ele.


21 novembro 2013

Esmalte dourado para a noite de Natal.

4
O Natal está chegando e muitas mulheres já começaram a pensar no que vão usar na data mais mágica do ano.
Na minha opinião as cores do natal definitivamente são o vermelho e o dourado, porém como os esmaltes vermelhos são mais comuns e fáceis de serem encontrados nesse post vou mostrar para vocês algumas opções poderosas de esmaltes dourados para usar na noite de Natal.


Eles são ou não a cara do Natal?

19 novembro 2013

[Resenha] A Lista do Nunca

4
Livro: A Lista do Nunca
Autora: Koethi Zan
Editora: Paralela

Sinopse:
"Depois de um acidente de carro que sofreram quando ainda tinham dez anos, Sarah e Jennifer, amigas inseparáveis, passaram anos escrevendo o que chamaram de Lista do Nunca: uma lista de ações e atitudes que deveriam ser evitadas, a qualquer custo, para que se mantivessem sãs e salvas. Numa noite, no entanto, ao entrarem em um táxi, o destino das duas garotas as levou a um lugar que certamente não considerariam nem um pouco seguro. Sequestradas por um homem frio e adepto do sadismo, elas ficam acorrentadas em um porão com mais duas garotas por três anos. Dez anos depois de conseguir fugir, Sarah ainda tenta levar uma vida normal. Seu contato com pessoas se limita ao porteiro que diariamente entrega o que ela precisa para sobreviver e à sua psicóloga, que tenta ajudá-la a enfrentar cada novo dia. Seu sequestrador, porém, está prestes a conseguir uma condicional e, mais do que preparar um belo discurso de vítima, Sarah sente que este é o momento de agir. Para isso, vai enfrentar seus terríveis traumas em busca de uma história que nunca fora revelada."


Sarah e Jennifer, amigas desde a infância aprenderam cedo que a vida pode ser cruel, que o mundo é cheio de armadilhas e que elas deviam tomar todo cuidado possível para escapar de todas as tragédias das quais podiam se envolver.
Depois de sofrerem um acidente de carro, as amigas que já eram inseparáveis se uniram ainda mais a fim de se protegerem, criando ‘a lista do nunca’ com inúmeras regras de como deveriam se comportar/o que deveriam evitar para que nunca se encontrassem em uma situação de risco outra vez.
Alguns anos depois, já na faculdade, as amigas se veem privadas de muitas coisas devidas ‘a lista do nunca’, e envolvidas pelas novas atividades do mundo acadêmico acabam se permitindo viver um pouco mais. Elas evitavam ao máximo sair do campus, mas em uma noite vão a uma festa, são sequestradas e a partir daí a vida delas nunca mais seria a mesma.
Sarah e Jennifer vão parar no porão da casa de um renomado professor, um cara aparentemente acima de qualquer suspeita, mas que acaba se mostrando um completo psicopata, sádico, capaz das mais terríveis atrocidades.  E elas não estão sozinhas, dividem o local com mais duas garotas e acabam por passar três anos presas a mercê do sequestrador.

“O cativeiro faz coisas com as pessoas. Mostra que podem ser rasteiras. Que são capazes de fazer qualquer coisa para permanecer vivas e sofrer um pouco menos do que no dia anterior.”

A história nos é contada do ponto de vista de Sarah, 13 anos após ter saído do cativeiro.
Sarah nunca se recuperou totalmente dos anos em que foi submetida às torturas de seu algoz, e mesmo com terapias e remédios, vive reclusa em seu apartamento evitando ao máximo o contato com o mundo exterior. Mas um fato vai fazer com que Sarah rompa a bolha em que  ‘se esconde’ e resolva encarar seus demônios em busca de respostas. O sequestrador, a 13 anos preso, esta prestes a conseguir uma condicional e como se isso não fosse aterrorizante o suficiente,  em seus anos de prisão ele sempre mandou cartas para Sarah e as outras meninas que mantinha no cativeiro. A princípio essas cartas são vistas como ‘sem sentido’, devaneios de um psicopata a fim de continuar torturando suas vítimas, mas Sarah passa a desconfiar que haja algo mais do que simples devaneios no conteúdo das cartas e começa então uma investigação, pois acredita que desvendando esse mistério possa conseguir algo que faça com que o sequestrador não consiga sair tão cedo da cadeia e assim, ela poderá enfim colocar um ponto final nessa história e recomeçar sua vida.

“ No meio da sala havia uma estrutura de madeira que depois descobri ser um instrumento medieval de tortura. Estava montado como se fosse um objeto de decoração, uma brincadeira. Mas não era brincadeira alguma. Quando estávamos lá em cima, éramos colocadas ali.”
  
A narrativa mistura passado e presente; ao mesmo tempo em que acompanhamos Sarah, nos dias atuais, lutando contra seus traumas e indo em busca de respostas sobre todo o mistério que cerca o sequestro, ela vai nos descrevendo passagens dos terríveis 3 anos em que ela e as outras meninas estiveram presas no porão. Em decorrência dessa narrativa, por conhecermos a história 13 anos depois , já sabemos que Sarah saiu do cativeiro, mas isso não faz com que o livro fique menos interessante, pelo contrário, a investigação de Sarah faz reavivar sua memória dos acontecimentos passados e conforme ela avança vamos vivendo todo esse sofrimento com ela em primeira mão e vemos como, mesmo da cadeia o sequestrador ainda consegue exercer um domínio significativo dentro de sua mente a ponto de submetê-la  a uma jornada que pode se mostrar muito perigosa e surpreendente.

“Fiquei calada. Sabia por experiência própria que não há nada que alguém possa dizer para ajudar nesse momento de tristeza. Você só tem que deixar a dor tomar conta, como uma onda, várias vezes, até a maré levar essa onda pra longe, lentamente, aos poucos.”
  
Como ela e as outras sobreviventes conseguiram escapar? O que trás de oculto as cartas do sequestrador? Elas ainda correm perigo? Sarah vai enfim conseguir colocar de vez um ponto final em tudo e finalmente recomeçar sua vida?
São pontos que vão prender o leitor do inicio ao fim. A história contada nesse livro poderia muito bem ser um fato real, casos como esse faz, infelizmente, parte dos noticiários pelo mundo a fora e essa semelhança torna a leitura ainda mais cruel e impactante. Um livro mais do que indicado pra quem curte emoções, reviravoltas e uma trama muito bem desenvolvida.
  

**** Resenha escrita por nossa colaboradora especial de thrillers e policiais Vivi Belon ****

18 novembro 2013

Novo Visual

4
Quando vai chegando o final do ano sempre sinto a necessidade de mudar o visual, cortar o cabelo e etc.
Esse ano resolvi mudar mais ainda e fazer as tão famosas mechas californianas nas pontas do cabelo.
Para começar comprei o kit da Loreal na cor 3, já que aparentemente olhando pelas imagens da caixinha ele era o mais indicado para o meu tipo de cabelo.  

Com a ajuda da minha mãe e seguindo as instruções que vem na embalagem passei o produto nos fios e deixei agir por cerca de 30 minutos para depois retirá-lo. 
A aplicação foi bem fácil devido a uma escovinha que vem junto na embalagem, com ela é possível até mesmo fazer todo o processo sozinha sem ajuda de ninguém, porém como eu sou um pouco medrosa para essas coisas achei melhor uma ajudinha extra mesmo.




A primeira vez que me olhei no espelho estranhei um pouco a imagem que vi, já que nunca tinha clareado tanto os fios antes. 
Mas felizmente pouco tempo depois já me acostumei com o novo visual e gostei bastante do resultado. 


 E vocês, o que acharam? Aprovado ou não?
 
Leitora Fashion © Todos os direitos reservados
leitorafashion@gmail.com